A Representação Gráfica e a Geometria 

A descrição com o objectivo de interpretar, analisar e principalmente estabelecer modos de intervenção no relacionamento dos espaços implica uma atitude de representação gráfica, caracterizada por uma simbologia e consequentemente uma linguagem próprias.

A "métrica" da "geos', numa referência ao étimo do termo Geometria, é precisamente a medida (métrica) que como quantificação de dimensões, distâncias, etc. implica a exactidão no relacionamento das formas e dos elementos que as definem perante uma dada referência (referencial) e que constituem os espaços (geos) existentes ou a criar, e em que vivemos.

A representação gráfica que se manifesta como a mais antiga forma de registo e comunicação de informação, embora tendo conhecido diferentes modos de apresentação, nunca foi substituída efectivamente por nenhum outro.

Não obstante o aparecimento e desenvolvimento de outros meios de comunicação, desde o surgimento da escrita, até aos que a evolução tecnológica proporciona, a representação (gráfica) de imagens ainda que de uma forma cada vez mais sofisticada prevalece e assume lugar de destaque no âmbito da comunicação.

Conceito extremamente amplo, a representação gráfica envolve assim e paralelamente as diferentes técnicas de produção, de diferentes linguagens conforme o domínio em que é utilizada e os objectivos a que se destina.

Desde as artes plásticas até ao processamento de imagem de satélite, passando pela fotografia, pelo vídeo, pelo desenho manual ou por meios informáticos e (caso do Desenho Técnico) sujeito ou não, a convenções de linguagem previamente estabelecidas, a representação gráfica é a atitude subjacente que permite o registo de toda a simbologia gráfica que possibilita a comunicação.

E é bem conhecida a enorme importância do efeito de persuasão: A imagem como que substitui o objecto a que se refere, e o seu impacto ultrapassa qualquer tentativa de definição verbal ou escrita.

De facto a imagem assume-se como um intermediário entre o indivíduo e a realidade física em que se insere. Jean-Paul Sartre salientava a ideia de que a imagem para além da impressão de ser o "objecto" reproduzido tende a fazer-se passar por ele próprio.

Importa no entanto e desde já, referir que numa outra perspectiva a observação de uma imagem com funções de carácter operativo passa a ser "lida" pela representação de propriedades e características particulares, especialmente métricas, para efeito da sua concretização, realização, fabrico, execução ou construção.

De resto, é elementar o "fazer um boneco" quando se pretende ilustrar uma ideia a comunicar. Principalmente se estão envolvidos conceitos de espaço e de forma, então o "boneco" estará algo próximo de um desenho que obviamente coloca em jogo uma relação geométrica entre os elementos que definem as formas a representar.

e ao longo de todo o texto, a utilização da expressão "Representação Gráfica" refere-se estritamente à representação gráfica capaz de descrever e analisar informação de carácter operativo e geométrico e suas aplicações, e restringe-se ao tipo de simbologia gráfica que lhe é inerente.